Vida em busca incessante pelo nirvana

Vida e a busca pelo estado de nirvana
No decorrer da vida, principalmente depois da meia idade, as pessoas vivem em busca incessante pelo estado de nirvana, a busca incessante da iluminação para alcançar o estado de plenitude e paz interior.

Focando na perfeição e sabedoria, o estado de nirvana é utilizado num sentido mais geral para designar alguém que está num estado de plenitude e paz interior, sem se deixar afetar por influências externas da vida.

Nirvana é uma palavra do contexto do Budismo, que significa o estado de libertação atingido pelo ser humano ao percorrer sua busca espiritual, a iluminação.

Quando você atinge a iluminação não se torna uma nova pessoa. Na verdade, você não ganha nada, apenas perde algo: se desprende de suas correntes, de suas amarras, deixa para trás seu sofrimento.

Na vida esta iluminação é um processo de perda. Quando não há nada a perder, esse estado é o nirvana. Esse estado de completo silêncio pode ser chamado de iluminação. (Osho)

A vida e o autojulgamento 
A iluminação do pensar é dever de cada ser, caso não seja feito, morrerás na obscuridade.
(Allen Shelly M.)

Vida e busca da Luz

O discípulo se aproxima do mestre:
- Durante anos busquei a iluminação - disse.
- Sinto que estou perto. Quero saber qual o próximo passo.

- E como você se sustenta? - perguntou o mestre.
- Ainda não aprendi a me sustentar; meu pai e minha mãe me ajudam. Entretanto, isto são apenas detalhes.

- O próximo passo é olhar o sol por meio minuto - disse o mestre.
O discípulo obedeceu.

Quando acabou, o mestre pediu que descrevesse o campo á sua volta.

- Não consigo vê-lo, o brilho do sol ofuscou meus olhos - respondeu o discípulo.

- Um homem que apenas busca a Luz, e deixa suas responsabilidades para os outros, termina sem encontrar a iluminação.

Um homem que mantém os olhos fixos no sol termina cego - comentou o mestre. (Maktub)

A vida e o autojulgamento

O homem que permite que se expresse nele de maneira espontânea isso que se chama autojulgamento ou juízo interior, será guiado pela voz da consciência e seguirá pelo caminho reto.

Todo homem submetido ao auto-juízo converte-se, de fato e por direito próprio, num bom cidadão, um bom esposo, um bom missionário, um bom pai, etc.

Para conhecer nossas contradições íntimas, é preciso nos auto-descobrirmos. Quem se auto-descobre pode trabalhar com êxito na dissolução do Eu Pluralizado.

As contradições íntimas fundamentam-se na pluralidade do Eu. Lamentavelmente, as tremendas contradições que carregamos dentro nos amargam a vida.

Somos operários e queremos ser potentados, somos soldados e queremos ser generais, etc. Queremos ter uma casa própria e depois que a conseguimos, a vendemos porque queremos ter outra.

Não estamos contentes com nada. Buscamos a felicidade nas ideias e estas também desfilam e passam.

Buscamos a felicidade na convivência, nas amizades, e que ocorre? Hoje estão conosco e amanhã contra nós. Assim, vemos que tudo é ilusório.

Nada na vida pode nos dar a felicidade. Com tantas contradições, somos apenas uns miseráveis.

É necessário acabar com o Eu Pluralizado. Só assim poderemos acabar com a origem secreta de todas as nossas contradições e amarguras.

Quem já dissolveu o Eu possui de fato o CPC (Centro Permanente de Consciência).

No mundo existem muitas escolas e sistemas. Muita gente vive borboleteando de escolinha em escolinha, sempre cheia de íntimas contradições, sempre insatisfeita, sempre buscando o caminho, mas jamais o encontra ainda que esteja bem perto de seus olhos.

O Eu Pluralizado não deixa ver o caminho da Verdade e da Vida. O pior inimigo da iluminação é o Eu.

Perguntou-se a um Mestre: Que é o caminho?
Que magnífica montanha!... falou da montanha onde mantinha o seu retiro.

Não vos perguntei acerca da montanha e sim sobre o caminho.

Enquanto não puderes ir além da montanha, não poderás encontrar o caminho, respondeu o Mestre.

O Eu pode fazer boas obras e ganhar muitos méritos que melhorem o seu caráter psicológico, mas jamais poderá chegar à iluminação.

Devemos procurar a iluminação que todo o resto nos será dado por acréscimo. Mas é impossível chegar à iluminação sem ter um CPC.

Impossível ter um Centro Permanente de Consciência sem haver dissolvido o Eu Pluralizado. (Samael Aun Weor)

Aqueles que buscam a Iluminação devem sempre se lembrar da necessidade de manter constantemente puros o corpo, a fala e a mente.

A mente impura segue atos impuros e estes trarão sofrimentos. Assim, é de suma importância que se conservem puros a mente e o corpo. (Sidarta Gautama)

Abraços e muita paz!

Vida em busca incessante pelo nirvana Vida em busca incessante pelo nirvana Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on novembro 14, 2017 Rating: 5
Nenhum comentário: