A meia-verdade

A meia verdade
Relata-se o seguinte incidente envolvendo o profeta Maomé.
O profeta e um dos seus companheiros entrou numa cidade para ensinar. Logo um adepto dos seus ensinamentos aproximou-se e disse: Meu senhor, não há nada exceto estupidez nesta cidade.
Os habitantes são tão obstinados! Ninguém quer aprender nada.
Tu não irás converter nenhum desses corações de pedra. 
O profeta respondeu bondosamente:
Tu tens razão.
Logo depois, outro membro da comunidade abordou o profeta.
Cheio de alegria, ele disse:
Mestre, tu estás numa cidade abençoada.
O povo anseia receber o verdadeiro ensinamento, e as pessoas abrem seus corações à tua palavra.
Maomé sorriu bondosamente e novamente disse:
Tu tens razão.
Ó mestre, disse o companheiro de Maomé, tu disseste ao primeiro homem que ele tinha razão, e ao segundo homem, que afirmou o contrário, tu disseste que ele também tinha razão.
Pois negro não pode ser branco.
Maomé respondeu:
Cada um vê o mundo do jeito que espera que seja.
Por que deveria eu refutar os dois homens?
Um deles vê o mal, o outro, o bem. Tu dirias que um deles vê falsamente?
Não são as pessoas aqui e em toda parte boas e más ao mesmo tempo?
Nenhum dos dois disse algo equivocado, disseram apenas algo incompleto.
(Nossrat Peseschkian)

"A menos que seu coração, sua alma, e todo seu ser estejam atrás de toda decisão que você toma, as palavras de sua boca estarão vazias, e cada ação será sem sentido. Verdade e confiança são as raízes de felicidade."
(Autor desconhecido)

"A verdade é inconvertível, a malícia pode atacá-la, a ignorância pode zombar dela, mas no fim; lá está ela."
(Winston Churchill)

Tenha muita paz em sua vida!

A meia-verdade A meia-verdade Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on setembro 15, 2010 Rating: 5
Nenhum comentário: