O ódio incubado

O ódio incubadoSomos seres preocupados em agir, fazer, resolver, providenciar. Estamos sempre tentando planejar uma coisa, concluir outra, descobrir uma terceira.
Não há nada de errado nisto – afinal de contas, é assim que construímos e modificamos o mundo. Mas faz parte da experiência da vida o ato da adoração.
Parar de vez em quando, sair de si mesmo, permanecer em silêncio diante do Universo.
Ajoelhar-se com o corpo e com a alma. Sem pedir, sem pensar, sem mesmo agradecer por nada.
Apenas viver o amor calado que nos envolve. Nestes momentos, algumas lágrimas inesperadas – que não são nem de alegria, nem de tristeza – podem jorrar.
Não se surpreenda. Isto é um dom. Estas lágrimas estão lavando sua alma
(Paulo Coelho)


Nesta longa estrada da vida deveremos buscar a evolução espiritual de diversas maneiras.
Uma delas é eliminando sentimentos negativos que não contribuem em nada para o nosso dia-a-dia e que, pelo contrário, só atrasam nossa vida.

Um destes sentimentos é o rancor. O rancor é, na verdade, o “ódio encubado” no coração, ou seja, um ódio “longa vida”.

A melhor maneira de eliminar este sentimento é o perdão verdadeiro, do fundo de nossa alma.
Se você não tiver coragem de perdoar frente a frente àquela pessoa que lhe trouxe tantos problemas e rancores, pelo menos mentalize positivamente o perdão a ela.
Quando isto acontecer, você estará tirando um grande peso de suas costas. Vá em frente, acredite em você e em seu talento para viver a vida em harmonia e paz.
(Maktub)

Quanto menor é o coração, mais ódio carrega.
(Victor Hugo)

O amor de um único ser, neutraliza o ódio de milhões de seres.
(Mahatma Gandhi)

Creio no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror.
(Charles Chaplin)

Diga não ao ódio e viva feliz!

O ódio incubado O ódio incubado Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on agosto 18, 2010 Rating: 5
Nenhum comentário: