A vida real e o ego na insegurança do eu

A vida e a insegurança do ego
Na vida real passamos muitas vezes pela imprevisível insegurança do "eu", é o ego inflado no comando, nestes momentos fica difícil saber quem somos e o que é certo ou errado, é a falência do eu. Quando a pessoa se aceita como é, fica mais fácil entender as coisas, se liberta das inseguranças da vida, mesmo possuindo qualidades e defeitos, pois os dois são inerentes a todos.

Estes monstros da insegurança do "eu" transformam a vida das pessoas, trazendo sempre o complexo de inferioridade, a impaciência e a insegurança provocada pela ansiedade. Essa insegurança produz sempre um obstáculo na percepção da realidade.

Ansiedade é derivada da insegurança pelo futuro, produzindo forte pressão no presente. Ela altera a sua percepção da realidade, distorcendo os seus diagnósticos. Diante de diagnósticos errados, os remédios serão ineficazes! (Flávio Augusto)

A vida e as armadilhas do ego

O poder e força do ego na insegurança

Viver é lutar para se livrar das armadilhas provocadas por nosso ego, é lutar para manter certa sanidade e paz de espírito.

O ego é dotado de um poder, de uma força criativa, conquista tardia da humanidade, a que chamamos vontade. (Carl Jung)

Lutar contra o próprio ego não é fácil, mas é o jeito de mantermos uma certa sanidade e paz de espírito. (Martha Medeiros)

É o ego que dá-lhe feridas e te machuca. É o ego que faz você, violento, com raiva, ciúmes, competitivo. É o ego que é continuamente o sentido miserável da vida. (Osho)

Eu gosto do impossível, tenho medo do provável, dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade, mas nem sempre tenho motivo. Tenho um sorriso confiante que às vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.

Sou inconstante e talvez imprevisível. Não gosto de rotina. Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso, e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.

Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo. São poucas as pessoas para quem eu me explico. (Bob Marley)

Quem sou eu?

Existe um Mago dentro de todos nós. Esse Mago tudo vê e tudo sabe. O Mago está além dos opostos da luz e das trevas, do bem e do mal, do prazer e da dor. Tudo que o Mago vê tem suas raízes no mundo invisível.

E quem sou eu? É a única pergunta que vale a pena ser feita e a única que jamais é respondida. É seu destino desempenhar uma infinidade de papéis, mas esses papéis não são você. O espírito não é localizado, mas deixa atrás de si uma impressão digital que chamamos de corpo.

Um Mago não acredita ser um evento localizado que sonha com um mundo maior. Um Mago é um mundo que sonha com eventos localizados.

Os Magos não acreditam na morte. À luz da consciência, tudo está vivo! Não existem inícios ou fins. Para o Mago, eles não passam de elaborações mentais. Para viver mais plenamente, é preciso morrer para o passado. As moléculas se dissolvem e se extinguem, mas a consciência sobrevive à morte da matéria na qual ela viaja.

A consciência do Mago é um campo que existe em toda a parte. As correntes de conhecimento contidas no campo são eternas e circulam eternamente. Séculos de conhecimento estão comprimidos em momentos reveladores. Vivemos como ondulações de energia no vasto oceano de energia.

Quando o ego é posto de lado, temos acesso à totalidade da memória. Quando as portas da percepção forem purificadas, você começará a enxergar o mundo invisível: o mundo do Mago.

A falência do eu

Mistérios e toxinas da vida

Existe dentro de você um manancial de vida onde você pode purificar-se e transformar-se. Purificar-se consiste em livrar-se das toxinas da sua vida: emoções tóxicas, pensamentos tóxicos e relacionamentos tóxicos. Todos os corpos vivos, físicos e sutis, são feixes de energia que podem ser diretamente percebidos.

O Mago vive num estado de conhecimento. Esse conhecimento dirige sua própria realização. O campo da consciência se organiza ao redor das nossas intenções. O conhecimento e a intenção são forças. O que você pretende muda o campo ao seu favor. As intenções comprimidas em palavras envolvem o poder mágico.

O Mago não tenta solucionar o mistério da vida. Ele está aqui para vivê-lo.

Todos nós possuímos um eu-sombra que é a parte da nossa realidade total. A sombra não está presente para magoá-lo e sim para mostrar-lhe onde você está incompleto. Quando a sombra é abraçada, ela pode ser curada. Quando ela é curada, ela se transforma em amor. Quando você puder viver com todas as suas qualidades opostas, você estará vivendo seu eu total como o Mago.

O Mago é o mestre da alquimia. A alquimia é a transformação. É através da alquimia que você começa a busca da perfeição. Você é o mundo. Quando você se transforma, o mundo em que você vive também será transformado.

As metas da busca – o heroísmo, a esperança, a graça e o amor – são a herança do intemporal.
Para invocar a ajuda do Mago, você precisa ser forte na verdade, sem ser teimoso no julgamento.

A sabedoria está viva e é, portanto, sempre imprevisível. A ordem é outra face do caos, o caos é outra face da ordem. A incerteza que você sente interiormente é a porta de entrada para a sabedoria. A insegurança sempre estará com o que busca: ele continua a tropeçar, mas nunca tomba.

A ordem humana é feita de regras. A ordem do Mago não tem regras: ela flui com a natureza da vida. (Deepak Chopra)

Mistérios da vida e o ego

O ego inflado é o principio da decadência do ser humano.

O absinto é o afrodisíaco do ego. A fada que nele existe, quer sua alma. (Bram Stoker)

Feliz aquele que superou seu ego. (Buda)

Abraços e muita paz!

A vida real e o ego na insegurança do eu A vida real e o ego na insegurança do eu Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on julho 14, 2015 Rating: 5
Nenhum comentário: