Vida no conceito do poeta Mario Quintana

Vida do poeta Mario Quintana
É bem difícil definir um conceito para a vida de um grande poeta. Acredito que a melhor definição da vida do poeta Mario Quintana, foi feita por ele mesmo. Mario Quintana definia seus poemas como uma confissão, como sua própria vida, dizia que sua vida está em seus poemas: "meus poemas são eu mesmo".

Mario Quintana é um dos poetas mais citados na internet e nas redes sociais. Talvez porque os internautas se identifiquem melhor com seus belos poemas e sábias frases, e certamente por ser considerado o poeta das coisas simples.  Segundo ele mesmo, teve sempre princípios práticos e adorava síntese.

O grande poeta se foi, como ele mesmo disse: "para a segunda idade", pois dizia que só existiam duas idades: "Idades só há duas: ou se está vivo ou morto", mas ficou imortalizado nesta vida com suas belas obras. (Doando Vida)

Vida e o poeta Mario Quintana

Definição de Vida para Mario Quintana

Nasci em Alegrete, em 30 de julho de 1906. Creio que foi a principal coisa que me aconteceu. E agora pedem-me que fale sobre mim mesmo. Bem! Eu sempre achei que toda confissão não transfigurada pela arte é indecente.

Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão. Ah! Mas o que querem são detalhes, cruezas, fofocas...

Aí vai! Estou com 78 anos, mas sem idade. Idades só há duas: ou se está vivo ou morto. Neste último caso é idade demais, pois foi-nos prometida a Eternidade.

Nasci no rigor do inverno, temperatura: 1 grau; e ainda por cima prematuramente, o que me deixava meio complexado, pois achava que não estava pronto.

Até que um dia descobri que alguém tão completo como Winston Churchill nascera prematuro - o mesmo tendo acontecido a sir Isaac Newton! Excusez du peu... Prefiro citar a opinião dos outros sobre mim.

Dizem que sou modesto. Pelo contrário, sou tão orgulhoso que acho que nunca escrevi algo à minha altura. Porque poesia é insatisfação, um anseio de auto superação. Um poeta satisfeito não satisfaz.

Dizem que sou tímido. Nada disso! Sou é caladão, introspectivo. Não sei porque sujeitam os introvertidos a tratamentos. Só por não poderem ser chatos como os outros?

Exatamente por execrar a chatice, a longuidão, é que eu adoro a síntese. Outro elemento da poesia é a busca da forma (não da fôrma), a dosagem das palavras.

Talvez concorra para esse meu cuidado o fato de ter sido prático de farmácia durante cinco anos. Note-se que é o mesmo caso de Carlos Drummond de Andrade, de Alberto de Oliveira, de Érico Veríssimo - que bem sabem (ou souberam) o que é a luta amorosa com as palavras. (Mario Quintana)

Poemas para vida, Mario Quintana

Poemas de vida de Mario Quintana:
Da Observação
Não te irrites, por mais que te fizerem...
Estuda, a frio, o coração alheio.
Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio...

Esperança
Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E - ó delicioso voo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
- Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
- O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…

Das Utopias
Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!

Livros não mudam o mundo,
quem muda o mundo são as pessoas.
Os livros só mudam as pessoas.

Quero sempre poder ter um sorriso estampado em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre... E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.

Maravilhas nunca faltaram ao mundo; o que sempre falta é a capacidade de senti-las e admirá-las.

Na simplicidade aprendemos que reconhecer um erro não nos diminui, mas nos engrandece, e que as pessoas não existem para nos admirar, mas para compartilhar conosco a beleza da existência.

A arte de viver é simplesmente a arte de conviver... simplesmente, disse eu? Mas como é difícil!

Índice do Blog Doando Vida


Abraços e muita paz! 

Vida no conceito do poeta Mario Quintana Vida no conceito do poeta Mario Quintana Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on novembro 03, 2015 Rating: 5
Nenhum comentário: