Filosofia de vida por prisma diferente

Filosofia de vida  por outro prisma
Filosofia de vida por um prisma diferente, onde lógica e razão são coisas a serem analisadas por cada ser humano. Onde cada um tem o seu ponto de vista e sua opinião formada sobre a existência. Em cada cabeça há uma lógica curiosa e convincente, mas nem sempre munida da razão.

O ser humano tem a capacidade de avaliar, julgar, ponderar e formar juízo sobre as coisas, mas neste assunto não existe ninguém na Terra que possa explicá-las sem deixar resquícios de dúvidas e indecisões.

Somos prisioneiros da vida e temos que suportá-la até que o último viaduto nos invada pela boca adentro e viaje eternamente em nossos corpos. Tem gente que a vida inteira fica travando inútil luta com os galhos, sem saber que é lá no tronco que tá o coringa do baralho.

Dizem que lá no fundo do oceano existe um baú que guarda o segredo almejado desde a aurora dos tempos por gênios, sábios, alquimistas e conquistadores. Eu conheci esse baú num estranho ritual revelado a poucos. Hoje eu posso enfim revelar que essa busca de séculos foi em vão.

Antes de questionar a vida, questione a si mesmo, analise seus conceitos, seus sentimentos, sua gratidão por aqueles que o ajudaram a renascer na Terra e, com certeza, você encontrará uma grande razão para viver e lutar contra o único inimigo que pode derrotá-lo: você mesmo!

Lógica e razão são coisas humanas
O último passo da razão é reconhecer a existência de uma infinidade de coisas que a ultrapassam. (Blaise Pascal)

Lógica e razão são coisas da Terra.
Eu divido as coisas da terra, coisas do universo e coisas da coisa. E as coisas da coisa, minha filha, essas é que são o negócio, entende? Quem é que pode explicá-las?

Aí então o mundo todo estava com um pano no pescoço, e o chefe dos soldados gostou e disse que todos tinham que usar aquilo. Foi assim que até hoje (mesmo no calor e mesmo sem pescoço grande) é que seu pai usa gravata.

Tia Lúcia gosta muito de diamantes de perfumes franceses. Ela gosta por que diamante é uma pedra muito difícil, poucas pessoas têm, e ela acha bonito. Eu não gosto por que não preciso mesmo, mesmo, dele. Ele só fica ali pendurado no pescoço, e, além disso, ele não serve para brincar. E outra coisa, eu sou uma pessoa diferente dela e é por isso que ela gosta de diamantes e eu não.

Vamos fazer um brinquedo: vamos inventar uma palavra qualquer. Valor. O que isso quer dizer? Valor é a maneira de cada pessoa ser diferente das outras. Cada um dá "valor" àquelas coisas que cada um gosta, certo? É como dar nota. Eu dou nota dez a minha bicicleta e dou zero ao diamante.

Eu tenho um valor para cada coisa do mundo. Eu tenho muitos valores, quer dizer, tenho muitas notas que eu dou a tudo que eu gosto e que eu não gosto. Todo mundo tem também seus "valores", suas notas.

Eu não gosto de ficar triste. Ficar triste é chato, por que a gente só fica triste quando está fazendo o que não gosta. Veja só, porque se você está fazendo o que gosta você só pode estar feliz da vida; e, por falar em vida, você sabe o que é vida?

- Vida é viver contente. Basta você fazer o que gosta e nunca o que outra pessoa diferente lhe manda fazer. Claro, né? Aí todo mundo fica vivendo contente.

- Mas como é então que pode tanta gente diferente um do outro viver junto assim como lá na cidade? Parece que todo mundo é igual por que todo mundo trabalha, e se todo mundo trabalha é por que todo mundo é igual.
- Não, tem muita gente que trabalha porque se não trabalha não tem dinheiro pra comprar comida e aí morre magrinho.

- Quem inventou o dinheiro?
- Não sei quem, mas foi um homem alto e louro.
Mas isso foi há muito tempo.
- Pra que o dinheiro?

- O dinheiro foi feito para que todo mundo tenha que trabalhar para comprar comida. Se não trabalha não come. Você trabalha para alguém e essa pessoa lhe paga, lhe dá o dinheiro.

- Mas então quem trabalha e não gosta é uma pessoa muito triste, coitada.
- Pois é, mas você não deve ter pena dela porque se essa pessoa não faz o que gosta é porque é burra e não sabe como é fácil ser feliz.

A coisa mais penosa do nosso tempo é que os tolos possuem convicção e os que possuem imaginação e raciocínio vivem cheios de dúvida e indecisão.

Eu prefiro ser uma metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo... Nunca é tarde demais pra começar tudo de novo...
Não diga que a vitória está perdida.
Tenha fé em Deus, tenha fé na vida.
Tente outra vez!
(Raul Seixas)

Abraços e muita paz!

Filosofia de vida por prisma diferente Filosofia de vida por prisma diferente Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on janeiro 09, 2016 Rating: 5
2 comentários:
  1. Interessante texto. Temos valores das coisas de forma muito pessoal. Somos diferentes em objetivos na vida, gostos... as diferenças individuais precisam ser respeitadas. O que não se pode perder de vista são os valores Morais, Espirituais, essenciais para Paz e Vida Feliz para toda Humanidade. Que Bom poder fazer sempre o que gostamos!! Muita Serenidade para VC!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, minha querida amiga Eloiza!!!
      Sim, somos todos únicos, com maneiras distintas de enxergar a vida e os seus valores, mas temos que respeitar as diferenças individuais.
      Obrigado, muita serenidade para você também. Fico muito feliz com sua presença, comentário e participação, valeu!!!
      Tenha um dia muito feliz e abençoado!!!

      Excluir