Tributos e metáforas ao velho e novo ano

Vida, o velho ano e o novo ano
Tempo de metáforas ao velho ano e tributos ao novo ano. Mais um ano chega ao fim e presenciamos uma série de metáforas ao velho ano insinuando: jogue fora, apague tal acontecimento, enterre isso, esqueça aquilo, declarando morte da nossa velha vida.

Por outro lado, o novo ano chega repleto de tributos à nova vida, esperança renovada, recomeço, reencarnação, consagração, felicidade, milagre da renovação...

Mas uma coisa é certa, independente dos tributos e metáforas, jamais haverá ano novo se continuamos a copiar os erros dos anos velhos.

Ano velho... vida velha, ano novo... vida nova. Mas a vida é mais do que calendários, fusos ou órbita gravitacional (Cony). Segundo Carlos Drummond de Andrade: "Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre".

Vida e a esperança de dias melhores

O novo não é o contrário do velho. O novo é o oposto das prisões que nos impomos. (Artur da Távola)

Vida e a esperança de dias melhores
Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para diante vai ser diferente.

Mais um ano passou... é... passou rápido! Podemos parar e examinar o que aconteceu nesses últimos 365 dias, mas eu prefiro não pensar nisso... o que devemos fazer é olhar os próximos dias... e apenas visualizar o que queremos que esteja reservado para nós dentro de cada um deles... É assim que um ano feliz é feito: de esperanças...

Mais um ano se passa e juntos podemos comemorar a virada de um novo tempo, de encher nossos corações de esperanças, de dizer adeus ano velho e feliz ano novo.

No ano passado...
Já repararam como é bom dizer "o ano passado"?
É como quem já tivesse atravessado um rio, deixando tudo na outra margem...

Tudo sim, tudo mesmo! Porque, embora nesse "tudo" se incluam algumas ilusões, a alma está leve, livre, numa extraordinária sensação de alívio, como só se poderiam sentir as almas desencarnadas.

Mas no ano passado, como eu ia dizendo, ou mais precisamente, no último dia do ano passado deparei com um despacho da Associeted Press em que, depois de anunciado como se comemoraria nos diversos países da Europa a chegada do Ano Novo, informava-se o seguinte, que bem merece um parágrafo à parte:

"Na Itália, quando soarem os sinos à meia-noite, todo mundo atirará pelas janelas as panelas velhas e os vasos rachados".

Ótimo! O meu ímpeto, modesto mas sincero, foi atirar-me eu próprio pela janela, tendo apenas no bolso, à guisa de explicação para as autoridades, um recorte do referido despacho.

Mas seria levar muito longe uma simples metáfora, aliás praticamente irrealizável, porque resido num andar térreo.

E, por outro lado, metáforas a gente não faz para a Polícia, que só quer saber de coisas concretas. Metáforas são para aproveitar em versos...

Atirei-me, pois, metaforicamente, pela janela do tricentésimo-sexagésimo-quinto andar do ano passado.

Morri? Não. Ressuscitei. Que isto da passagem de um ano para outro é um corriqueiro fenômeno de morte e ressurreição - morte do ano velho e sua ressurreição como ano novo, morte da nossa vida velha para uma vida nova. (Mario Quintana)

E mesmo com todos os obstáculos que a vida nos prepara, conseguimos superar as barreiras e passar para este outro ano que com certeza será melhor.

Desejo que esse ano seja um ano de realizações, que você consiga atingir todas as suas metas e que seja um ano de muita paz, saúde e alegria.

Feliz Ano Novo!
Glückliches Neues Jahr!
Nytar!
Feliz Año Nuevo!
Felicigan Novan Jaron!
Heureuse Nouvelle Année!
Feliz Aninovo!
Shaná Tová!
Happy New Year!
Felice Nuovo Anno!
Akemashite Omedetou Gozaimasu!

Abraços e muita paz!

Tributos e metáforas ao velho e novo ano Tributos e metáforas ao velho e novo ano Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on dezembro 17, 2015 Rating: 5
2 comentários:
  1. Vamos ter muitas Esperanças...nosso Ano será muito feliz, muita saúde, alegrias, realizações...tudo de Bom. Assim sonhamos, Vibramos... Assim será.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida amiga Eloiza!!!
      Sim, vamos ter esperanças em um ano muito feliz, com muita saúde, alegrias e realizações para todos. Que assim seja!!!
      Valeu minha querida amiga, fico muito feliz com sua presença, participação e carinho de sempre, valeu!!!
      Tenha uma ótima semana e um feliz Natal!!!

      Excluir