Silenciosos fatores de risco para a vida

Denças silenciosas que matam
Um dos maiores fatores de risco para a vida são as doenças que matam silenciosamente. A prevenção é essencial para combater as doenças silenciosas. A prevenção está associada à adoção de hábitos saudáveis de saúde e higiene, alimentação balanceada e atividade física regular. Além disso, é recomendável procurar orientação de profissional de saúde, que poderá avaliar de maneira ampla as condições do paciente, como fatores de riscos, sociais, culturais e familiares.

Muitas doenças se desenvolvem no corpo sem apresentar reações ou sintomas detectáveis a curto prazo. Quando descoberta, muitas vezes a doença já avançou para um estado crítico podendo levar até a morte.

As doenças crônicas atingem quase um terço da população brasileira. Diabetes, hipertensão, câncer, problemas de coluna e reumatismo estão entre as doenças crônicas que acometiam 52,6 milhões de brasileiros ou 29,9% da população em 2003, dos quais 22,1 milhões eram homens e 30,5 milhões, mulheres. No total, 9,7 milhões de pessoas tinham três ou mais doenças crônicas. Essas foram algumas das informações detectadas pelo Suplemento de Saúde da PNAD 2003, do IBGE, que visitou mais de 133 mil domicílios e entrevistou 384,8 mil pessoas.

Riscos para a saúde

Doenças silenciosas 

Um dos maiores fatores de risco hoje em todo o planeta são as doenças silenciosas ou crônicas, as quais se instalam em nosso organismo sem termos conhecimento. A principal causa dessas doenças é a má informação existente na alimentação e o fato de nos automedicarmos, sem uma avaliação correta da medicação, que ingerimos.

Homens com circunferência abdominal acima de 100 cm e mulheres com a medida acima dos 80 cm devem ficar atentos ao seu estado de saúde. A gordura abdominal é a mais perigosa. É ela que se instala dentro dos órgãos e fica depositada nas artérias, causando o entupimento. Essa é a principal característica de um indivíduo com síndrome metabólica (doença que congrega um conjunto de fatores de risco, normalmente relacionado com a obesidade central e a resistência à insulina).

As doenças cardiovasculares são um exemplo. A cada ano, cerca de 17 milhões de pessoas em todo o mundo morrem por problemas no coração.

Outra doença que avança silenciosamente é a diabetes. A patologia é bastante disseminada na sociedade, mas isso não tem refletido na redução de sua incidência. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), hoje são cerca de 165 milhões de acometidos pelo mal. E as projeções não são animadoras: o número deve dobrar nos próximos 20 anos. Esse salto no número de casos está diretamente relacionado ao estilo de vida atual, onde predominam a obesidade e o sedentarismo.

As doenças silenciosas e perigosasUma pesquisa realizada pelo IBGE, em parceria com o Ministério da Saúde, mostrou que 40,6% da população brasileira, com 20 anos ou mais, está com excesso de peso. Bem diferente de 30 anos atrás, quando apenas 16% dos adultos tinham sobrepeso. Sabe-se que a obesidade é o principal fator de risco para o desenvolvimento do diabetes tipo 2. Em um efeito cascata, as duas doenças silenciosas juntas atuam como verdadeiras “bombas-relógio” no organismo, favorecendo o surgimento de cardiopatias, hipertensão arterial e dislipidemias. (Dr. Marcio Corrêa - Naturopata)

Outra doença silenciosa e perigosa é a popularmente conhecida como “pressão alta”, a hipertensão arterial é causada pela força anormal que o sangue faz contra as paredes das artérias para circular pelo corpo. É uma doença crônica degenerativa, que além de fatores genéticos, pode ser adquirida por conta da má alimentação e hábitos não saudáveis.  Por se tratar de uma doença que só provoca sintomas em fase avançada, é preciso ficar alerta e fazer exames periodicamente.

A depressão também é uma doença silenciosa que pode matar.
A depressão se converterá, em 2020, na segunda causa de incapacidade no mundo, por trás das doenças isquêmicas (infartos, insuficiência coronária, acidente cerebrovascular). No ano 2000 ocupava o quarto lugar nesta classificação, o que dá uma idéia da importância e do aumento da prevalência desta doença.

A doença depressiva atinge 340 milhões de pessoas e causa 850 mil suicídios por ano em todo o mundo e 86% delas estão em países de baixa e média renda. Somente no Brasil, estima-se que há 13 milhões de depressivos.

Prevenção das doenças silenciosas

Doenças, prevenção e combatePrevenção é essencial para combatê-las. A ausência de sintomas pode ocultar a presença ou desenvolvimento de enfermidades perigosas.

Febre, dor de cabeça, dor pelo corpo. Esses são alguns dos sinais mais comuns do organismo para avisar que algo não vai bem. Os sintomas são um dos principais meios utilizados para diagnosticar doenças. Mas e quando eles não aparecem? Muitas enfermidades se desenvolvem no corpo sem apresentar reações ou sintomas detectáveis a curto prazo. Quando descoberta, muitas vezes a doença já avançou para um estado crítico podendo levar até a morte.

Diabetes, hipertensão arterial, hepatite e glaucoma são algumas das enfermidades assintomáticas, conhecidas como doenças silenciosas. Nesse grupo, também entram alguns tipos de câncer, como de mama, próstata e intestino.

É necessário adotar hábitos saudáveis de saúde e higiene, alimentação balanceada e atividade física regular. Além disso, é recomendável buscar orientação de profissional de saúde, que poderá avaliar de maneira ampla as condições do paciente, como fatores de riscos sociais, culturais e familiares.

Não fumar, não beber, não usar drogas, cultivar relações afetivas e familiares estáveis também são atitudes importantes para a prevenção das doenças silenciosas, lembra o médico.

Diabetes silenciosaDiabetes - de acordo com estudo publicado pela Associação Latino-Americana, metade das pessoas que tem Diabetes Mellitus não sabe que está com a doença.
Causado pela insuficiência na produção de insulina, o que ocasiona aumento de açúcar no sangue (glicose), o diabetes é uma das principais doenças da atualidade.

Adotar uma dieta saudável, manter o peso dentro dos índices de normalidade, praticar atividade física regular e realizar glicemia, anualmente, a partir dos 40 anos.

Osteoporose - caracteriza-se pela destruição das células que formam os ossos, ocasionando fraqueza e facilitando a ocorrência de fraturas.
Segundo o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, 80% dos casos ocorrem em mulheres. Atividade física regular, tomar diariamente 15 minutos de sol - antes das 10h e após 16h, com uso de protetor solar, e manter dieta rica em cálcio são formas de prevenção.

Câncer de mama - surge com o desenvolvimento anormal das células do seio que crescem e substituem o tecido saudável.
O câncer normalmente começa com um pequeno nódulo que, com o tempo, pode crescer e se espalhar para áreas próximas. O tumor geralmente é indolor e pode se espalhar para órgãos vitais como fígado, cérebro e pulmão. Fazer um autoexame mensalmente e mamografias anuais a partir dos 50 anos é importante forma de precaução.

Pressão altaHipertensão Arterial - é a elevação da pressão arterial acima dos valores considerados normais e pode causar lesões em diferentes órgãos, como cérebro, coração, rins e olhos. A doença é mais comum em pessoas de meia-idade e idosos, mas também pode acometer jovem. A adoção de hábitos saudáveis é a melhor prevenção, já que obesidade, sedentarismo, alcoolismo e estresse são as principais causas da doença.

Glaucoma - origina-se pelo aumento da pressão interna do olho. Na maioria dos casos, as pessoas não apresentam sintomas até o nervo óptico ser atingido. Nesse caso, a visão fica comprometida. Se observar dificuldade na visão lateral, perceber que está perdendo nitidez da distância dos objetos procure seu médico de confiança.

É importante consultar um oftalmologista, pelo menos uma vez ao ano, para medir a pressão ocular. Além disso, as pessoas que possuem fatores de risco como hipertensão, diabetes e glaucoma na família devem fazer avaliações de seis em seis meses.

Alzheimer - é a degeneração progressiva do cérebro. Começa por volta dos 65 anos, levando a perda das habilidades de pensar, raciocinar e memorizar.
Por vezes os primeiros sintomas passam despercebidos pelo paciente e pelos próprios familiares. É comum as pessoas associarem o esquecimento à idade.

É importante a identificação dos primeiros distúrbios de memória para possível início de tratamento com o intuito de retardar a progressão da doença, até o momento sem cura.
Estabelecer rotinas, incentivar a independência, as habilidades pessoais e evitar confrontos são algumas formas de ajuda ao paciente.

Como fugir do sedentarismo

Sedentarismo, o grande vilãoPequenas atividades que fazem parte do dia a dia podem ser suficientes para suprir esse gasto calórico semanal e deixar o sedentarismo, por exemplo, subir dois andares de escada em vez de usar o elevador; fazer pequenas caminhadas, como ir à padaria ou estacionar o carro um pouco mais longe do trabalho para ir caminhando e dispensar o controle remoto são algumas dessas atividades.

Além de combater o sedentarismo, considerado um dos principais fatores de risco para a morte súbita, a prática de exercícios físicos contribui para manter um peso corporal adequado, diminuir a pressão arterial, proteger contra ataques do coração e prevenir doenças como câncer e osteoporose.

De acordo com Dr. Paulo, fugir do sedentarismo é importante, mas o acompanhamento médico é fundamental. Consultar um profissional antes de iniciar exercícios físicos é importante porque ele irá indicar o tipo de atividade mais indicada, de acordo com o perfil de cada pessoa e a quantidade a ser feita, afirma.

Dicas simples para se tornar uma pessoa saudável.

Faça alongamentos a cada hora. Ajuda a relaxar, melhora a concentração e queima calorias.
Suba até três lances de escada em vez de utilizar o elevador.
Use menos o carro. Percorra pequenas distâncias a pé.
Faça caminhada de pelo menos 10 minutos por dia.
Faça pequenas atividades domésticas, como limpar a casa ou dar banho no cachorro.

Caminhada é opção para prática de exercícios físicos.

Além de prevenir doenças, atividade física proporciona bem-estar às pessoas que praticam. A caminhada é um dos exercícios mais simples e baratos para se fazer e também um dos mais indicados por ser eficaz e aconselhável a qualquer pessoa.

Andar faz bem para a saúde

A caminhada regular, quando bem orientada, proporciona mais vitalidade, aumenta a eficiência do sistema imunológico, diminui o estresse e combate a depressão.

Também está provado que a caminhada fortalece os ossos. Pesquisas mostram que mulheres que seguem programas de caminhadas têm maior densidade óssea após a menopausa, por exemplo.

Veja algumas dicas para fazer uma caminhada segura.
Usar calçado adequado, de preferência tênis com amortecedor.
Beber bastante água antes, durante e após o exercício.
Utilizar boné sempre que possível.
Caminhar à noite também é uma opção, mas para isso é necessário escolher lugares bem iluminados e tomar cuidado com a segurança.
Manter postura ereta enquanto estiver caminhando.
Evitar dar passos largos. Preferir passadas mais curtas.
Fazer alongamento antes e após a atividade.
(Dr. Paulo - Climeti e Jornal Unidas)

Prevenção com alimentação correta

A alimentação correta e saudável também é uma grande ajuda na prevenção das doenças silenciosas, cuide-se.

Abraços e muita paz!

Silenciosos fatores de risco para a vida Silenciosos fatores de risco para a vida Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on maio 28, 2015 Rating: 5
Nenhum comentário: