Viver preconceitos e crenças, um "eu" postiço

Viver crenças e preconceitos, um eu postiço
Viver crenças e preconceitos sintetizados num eu postiço.
As pessoas com as quais nos relacionamos são sempre um espelho refletindo nossas próprias crenças, e simultaneamente nós somos espelhos refletindo as delas. Assim, o relacionamento é uma das mais poderosas ferramentas para o desenvolvimento - se olharmos honestamente para nossos relacionamentos, nós conseguiremos ver muito sobre como nós os criamos. (Shakti Gawain)

Um homem visitou um místico famoso, porque queria saber como se livrar de suas crenças e preconceitos. Em vez de lhe responder, o místico andou em direção à uma pilastra e a abraçou, enquanto gritava:
- Socorro, salve-me desta pilastra! Ela está me prendendo! Salve-me desta pilastra!
O homem que fizera a pergunta, pensou que o místico era maluco. A gritaria atraiu um monte de gente. Sem conseguir acreditar no que via, o homem perguntou:
- Por que está fazendo isso? Eu vim para lhe fazer uma pergunta importante. Pensei que fosse sábio, mas acho que é louco. O senhor está segurando a pilastra e pode soltá-la na hora que quiser. Ela não o está prendendo.
O místico largou a pilastra e disse:
um eu postiço- Então já tem a resposta à sua pergunta. Não são suas crenças e preconceitos que te seguram. Você os agarra firmemente e não os solta. Para se livrar deles, basta largá-los na hora que quiser. (Pia Steiner)

Não sei quem sou, que alma tenho. 
Quando falo com sinceridade não sei com que sinceridade falo. Sou variamente outro do que um eu que não sei se existe (se é esses outros).
Sinto crenças que não tenho. Enlevam-me ânsias que repudio. A minha perpétua atenção sobre mim perpetuamente me aponta traições de alma a um caráter que talvez eu não tenha, nem ela julga que eu tenho.
Sinto-me múltiplo. Sou como um quarto com inúmeros espelhos fantásticos que torcem para reflexões falsas uma única anterior realidade que não está em nenhuma e está em todas.
Como o panteísta se sente árvore [?] e até a flor, eu sinto-me vários seres. Sinto-me viver vidas alheias, em mim, incompletamente, como se o meu ser participasse de todos os homens, incompletamente de cada [?], por uma suma de não-eus sintetizados num eu postiço. (Fernando Pessoa)

Quem dera que as pessoas, independentemente de suas religiões e crenças, fossem seres humanos sem fronteiras, sempre expondo, e não impondo, as suas idéias. A imposição das idéias, sejam elas religiosas, políticas ou científicas, sempre foi um câncer que corrói nossa espécie e destrói a liberdade. Jesus divulgava seus pensamentos claramente, mas convidando: "QUEM TEM SEDE VENHA A MIM E BEBA". Era um ato voluntário. (Augusto Cury)

somos todos iguais, o sensato reflete

Abraços e muita paz!


Viver preconceitos e crenças, um "eu" postiço Viver preconceitos e crenças, um "eu" postiço Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on janeiro 23, 2014 Rating: 5
4 comentários:
  1. Eloiza Martins De Oliveira Miranda · Quem mais comentou · Faculdade "Auxilium" de Filosofia, Ciências e Letras de Lins
    Uma bela reflexão. vivemos num consciente coletivo repleto de conceitos, cabe a cada um de nós, através da força da reforma no Bem, aceitar ou não as idéias que nos rodeiam. Temos um modelo a seguir, Mestre Jesus. Muita Paz para VC!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, minha querida amiga Eloiza Martins De Oliveira Miranda!!!
      Pois é, minha querida amiga, aqui estamos com a primordial tarefa de aprender a viver no coletivo... como diz Augusto Cury "Quem dera que as pessoas, independentemente de suas religiões e crenças, fossem seres humanos sem fronteiras, sempre expondo, e não impondo, as suas idéias", a aceitação e amor ao próximo foi o que nos ensinou o grande Mestre Jesus.
      Obrigado minha querida amiga, que bom que gostou da reflexão, fico muito feliz com sua presença, com seu apoio e com seu carinho de sempre, valeu!!!
      Tenha um excelente e abençoado final de semana!!!
      Abraços com carinho e muita paz!!!

      Excluir
  2. Olá Luis Eduardo Pirollo,
    A vida é um encadeamento de relações. Nada no universo existe por si só, tudo é interdependente. Acreditamos profundamente que na percepção da importância das relações exista a oportunidade de uma grande revolução humana na busca da paz, da harmonia, da beleza do ser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, meu caro amigo Alfeu!!!
      Certamente meu amigo, aqui estamos justamente para aprender a viver em união, respeitando as diferenças e aceitando as pessoas como elas são. Essa evolução é necessária para que a humanidade encontre a paz e harmonia, pois o relacionamento é uma das mais poderosas ferramentas para o desenvolvimento humano, só assim vamos alcançar um mundo mais digno e melhor para todos.
      Obrigado meu caro amigo, fico muito feliz com sua presença, com seu apoio, com seu rico comentário e com o seu carinho de sempre, valeu!!!
      Tenha um excelente e abençoado domingo junto dos seus!!!
      Grande abraço e muita paz!!!

      Excluir