Os Quatro Gigantes

Os Quatro Gigantes
Dizem que há na alma humana quatro gigantes que acompanham a evolução. Três deles colocam obstáculos, e apenas um abre todas as portas. Os três criadores de problemas chamam-se: MEDO, IRA e DEVER.

O MEDO é um gigante enraizado profundamente, que se alimenta da necessidade de preservar a vida diante do perigo, mas que se alia com a imaginação e cria neuroses que chegam a paralisar completamente a vida de uma pessoa.

A IRA é um gigante destrutivo, que se alimenta da reação normal de uma pessoa diante do medo, mas por ser normalmente abafado e recalcado acaba criando o ódio, que é uma raiva em conserva, podendo consumir uma pessoa por dentro até matá-la.

O DEVER é um gigante que entulha o caminho dos humanos com muitas obrigações, podendo esmagá-lo com tantas delas que até produz tédio e imobilidade.

Quem poderia abrir todas as portas é o gigante AMOR, mas raramente alguém se utiliza dele.
O Amor é o dom supremo.
E eu passo a mostrar-vos ainda um caminho sobremodo excelente.

O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará; porque, em parte, conhecemos e, em parte, profetizamos. Quando, porém, vier o que é perfeito, então, o que então é em parte, será aniquilado.
Quando eu era menino, falava como um menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.

Porque, agora, vemos como um espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a Fé, a Esperança e o Amor, estes três; porém o maior deles é o AMOR.

Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.
Apóstolo Paulo

Viva sempre com muito Amor!

Os Quatro Gigantes Os Quatro Gigantes Reviewed by Luis Eduardo Pirollo on agosto 20, 2010 Rating: 5
Nenhum comentário: